Chega de explicações, é preciso punir

Por OPINIÃO 29/01/2019 - 15:03 hs

De uma forma tristemente enlameada e sem querer, a cidade de Brumadinho surge de suas neblinas  para o mundo. E, como diria a “presidenta” Dilma, “estamos  estarrecidos” com a tragédia de sangue, das vidas que ali se foram. Agora surge uma enxurrada  de explicações técnicas e blá blázeiras dos gestores da unidade de mineração, órgãos fiscalizadores e políticos de toda sorte para tentar acomodar a opinião pública.

É preciso medidas penais duras, imediatas e enérgicas para inibir e prevenir novos crimes contra pessoas, patrimônios e o meio ambiente de nosso país.

E a esquerda caviar não precisa vir criar factoides sobre o que fez o governo federal para evitar o desastre de engenharia que ali ocorreu, sendo uma réplica do que ocorreu em Mariana e conforme notícias, com ainda mais vítimas. 

Aliás, esta história de esquerda, direita e centro já encheu o saco! 

É importante que os políticos abram os olhos e ouvidos. O brasileiro vota em pessoas, em ideias e não em siglas partidárias com seus fictícios estatutos. Portanto, enquanto agentes políticos o governo Petista estadual e nacional teve sim, oportunidade de melhorar a segurança destas barragens em muitos anos de governança, mas o resultado, está aí, nova tragédia e ponto.

E olha, o momento chama à atenção sim, pois existem vários relatórios técnicos de antes de 2019, que mostram o grau de segurança desta e de outras unidades, inclusive um, na cidade de Poconé, aqui em Mato Grosso. E mais, como traz a vinheta do comercial da Polishop: como estão as seguranças de barragens de geração de energia elétrica? Como estão outros dics de contenção espalhados pelo país, que “exploram” minérios?

Agora, é hora da mão forte da União Federal e estadual entrar em ação, sem panos quentes, com letra da lei e como exemplo sim, de punir exemplarmente , de realizar imediatamente medidas penais em desfavor dos dirigentes da vale. É preciso por um basta nisto, mudar as tratativas nestes temas também, chega de contemporizar, pessoas morreram, histórias se foram, famílias foram dizimadas, patrimônios foram consumidos, suor e sonhos se afundaram na lama da Vale do Rio de Amargo.

Aqui, pelas frias letras, só resta a nós ter esperança que haverá medidas punitivas diferentes de outras vezes e para as famílias, que ali se foram, nossa solidariedade. Deus abençoe Brumadinho.