Corpo de professora desaparecida há 14 dias é encontrado em Nova Mutum

O principal suspeito do crime, ex-namorado da vítima, já está preso por ordem judicial no Paraná

Por Luan Cordeiro 08/02/2019 - 12:12 hs
Foto: Reprodução

Rosângela da Silva, de 32 anos, foi encontrada sem vida na noite desta quinta-feira (07). Ela estava desaparecida há 14 dias. A mulher estava em uma região de mata, as margens da MT-249, aproximadamente 40 Km de Nova Mutum (241 Km de Cuiabá), sentido São Jose do Rio Claro. 

O reconhecimento da vítima foi feito por familiares que acompanharam os trabalhos da polícia. Junto ao corpo foram encontrados objetos como relógio, roupas e joias da mulher. 

Segundo Quitéria Belarmino, irmã da vítima, a família nunca perdeu as esperanças de encontra-la com vida. 

“A angustia do desaparecimento acabou, mas agora estamos sentindo a dor do enterro, de encontrar ela sem vida, mas temos que agradecer a polícia pelo trabalho e por ter encontrado o corpo da minha irmã”, relatou Quitéria. 

O próximo passo é a identificação da causa da morte, sendo feita pela perícia.

 “Um exame mais detalhado desse corpo irá encontrar um elemento mais concreto para revelar a forma que a vítima foi morta. Agora nosso trabalho é realizar esses exames e descobrir mais detalhes do crime”, declarou o perito criminal Gledson Emiliano.

O principal suspeito, o ex-namorado de Rosangela Alexandro Lautenschlaiger, de 31 anos, está preso  desde o dia 30 de janeiro. 

“Vamos estar representando pela prorrogação da prisão temporária do acusado ou então decretação da prisão preventiva dele. Ele já era investigado pela violação de domicilio, em situação de violência doméstica, e agora será indiciado pelo descumprimento das medidas protetivas, feminicídio e ocultação de cadáver”, pontuou o delegado da Polícia Civil, Rodrigo Rufato. 

Entenda o caso

Rosângela estava desaparecida desde o dia 25 de janeiro. A vítima foi vista pela última vez quando Alexandro a buscou em sua casa. Segundo testemunhas, os dois estavam discutindo no momento. Ambos seguiram em um HB20 branco, após isso a mulher não foi mais vista.

No dia 26 de janeiro, o acusado deixou a cidade de Nova Mutum, com destino ao Paraguai. Após o fato, ele passou a ser investigado pelo desaparecimento de Rosângela. 

O empresário, foi preso no dia 30 do mês passado, em Foz do Iguaçu (PR), por ordem judicial. Agora ele deve ser transferido para Mato Grosso. Em seu interrogatório, o acusado se manteve em silêncio, mas segundo o delegado, existem fortes indícios de que ele tenha cometido o crime.