Lucas do Rio Verde será sede de encontro nacional de agricultura de precisão

Essa é a primeira edição do evento promovido pela Associação Brasileira de Agricultura de Precisão

Por Luan Cordeiro 15/08/2019 - 17:40 hs
Foto: Imagem Ilustrativa

Com o intuito de difundir o conceito de agricultura de precisão e digital e levar conhecimento e capacitação para as principais regiões produtoras do Brasil, a Associação Brasileira de Agricultura de Precisão (AsBraAP) começa a promover neste ano o Simpósio Regional de Agricultura de Precisão e Digital (SIMAP Digital).

Lucas do Rio Verde (149 Km de Sinop) foi a cidade escolhida para receber a primeira edição do evento, que será de nível nacional, que acontecerá dia 23 de setembro.

Vale lembrar que atualmente Mato Grosso está entre os quatro estados brasileiros que mais usam a prática, que existe a aproximadamente 40 anos.

De acordo com o presidente da AsBraAP, José Paulo Molin, a agricultura de precisão se consolida como um segmento do agronegócio, com práticas, serviços e tecnologias oferecidas aos produtores.

“As recentes evoluções ampliam as perspectivas, com a onda digital chegando à agricultura, o que acelera a adoção de processos de modernização e inovação nas práticas agrícolas. Queremos levar essa inovação para o alcance de todos”, explicou.

Os simpósios estão programados para ter de três a quatro edições por ano, sempre enfocando uma região e as culturas específicas de cada localidade.

A agricultura de precisão

Um conjunto de ferramentas e tecnologias que possibilita ao produtor conhecer toda a área para cultivo de maneira mais completa e que pode ajudar a aumentar o rendimento em até 67%.  Essa é a denominada agricultura de precisão.

Esse sistema permite a utilização de estratégias para resolver os problemas de desuniformidade nas lavouras.

No Brasil, a AP foi introduzida no início dos anos 90, por meio da utilização de máquinas agrícolas com receptores GNSS (Global Navigation Satelite System), computadores de bordo e sistemas que possibilitavam a geração de mapas de produtividade. Os estados que mais usam a AP atualmente são Goiás, Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul.