Garimpeiro morre em confronto com militares do Bope durante 2ª fase da Operação Trype

Esta etapa tem como objetivo cessar as atividades de um grande garimpo ilegal em Aripuanã

Por Luan Cordeiro 08/10/2019 - 10:13 hs
Foto: Assessoria PF

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), confirmou que uma pessoa morreu nessa segunda-feira (07) ao trocar tiros com militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) durante a 2ª fase da Operação Trype, deflagrada em um garimpo ilegal na cidade de Aripuanã (597 Km de Sinop).

O garimpeiro ainda não teve a identidade divulgada e conforme relatos, ele foi atingido no tórax por dois tiros de fuzil calibre 7,62.

De acordo com informações, os policiais do Bope foram os primeiros a entrar no local. Em seguida, com a área já em segurança, os demais envolvidos na operação adentraram na região.

Durante a checagem, foi observado a existência de vários barracos, alguns já vazios e outros ocupados por moradores. A orientação das autoridades foi que os garimpeiros saíssem e seguissem para um local onde seria realizada uma triagem.

Em determinado momento, um dos garimpeiros efetuou tiros contra os policiais, que acabaram reagindo e alvejando o homem.

Após ser atingido, ele chegou a ser socorrido e encaminhado ao Hospital Municipal Santo Antônio, porém morreu antes mesmo de receber os atendimentos na unidade.

Em seguida, as autoridades fizeram uma varredura no barraco do garimpeiro e localizaram duas espingardas cartucheiras (sendo uma de cano longo e outra de cano curto), embalagens com pólvora, chumbo, pote de espoleta, cartuchos intactos e deflagrados, além de recipientes com substância similar a ouro.


A operação

A 2ª etapa da operação foi desencadeada na manhã dessa segunda-feira (07). Esta fase tem como objetivo cessar as atividades de um grande garimpo ilegal existente na região de Aripuanã.

Conforme informações, as atividades no local iniciaram em outubro de 2018, e atualmente a estimativa é de 1,5 pessoas trabalhem ilegalmente na extração de minérios.

Em decorrência da grande briga por ouro, no garimpo existem diversas pessoas armadas. Esse fator também teria gerado um grande impacto social no município, resultando no aumento do índice de homicídios, tráfico de drogas, prostituição, entre outros crimes.

Cerca de 160 policiais federais, servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Secretaria de Estado do Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema/MT), atuarão na região durante toda esta semana.